Posto de abastecimento Dourogás GNV

Dourogás investe 1,2 milhões em novo posto de abastecimento de gás natural

Localizado na A41, na área de serviço da BP, na Maia, o novo posto de abastecimento de GNV da Dourogás corresponde a um investimento de 1,2 milhões de euros e está integrado na rede do consórcio europeu Eco-Gate.

O novo posto da Dourogás está integrado na rede do consórcio europeu Eco-Gate, que estabeleceu uma rede de postos GNV nos corredores de abastecimento, em Portugal, Espanha, França e Alemanha. Desta forma, a Dourogás reforça a sua oferta também no segmento de transporte de passageiros, sendo já responsável pela frota de autocarros da Sociedade de Transportes Coletivos do Porto (STCP). 

Este posto nasce de uma parceria com a BP Portugal e está preparado para o upgrade de ‘hidrogénio verde’, combustível relativamente ao qual Nuno Moreira, presidente da Dourogás, admite que seguirá a estratégia para chegar à liderança no mercado português.

Desta forma, o Grupo Dourogás aumenta a rede de abastecimento de GNV para 10 pontos de venda, conseguindo fazer chegar este combustível a todo o território nacional — acompanhando a capilaridade das cadeias de abastecimento nacionais. 

Trata-se de um investimento que permite a Portugal dar cumprimento à Diretiva Europeia dos Combustíveis Alternativos (2014/94/CE) que compromete Portugal a implantar no território nacional postos de abastecimento de GNV.

Este posto, por fazer parte da Eco-Gate e pela sua inovação, consegue trazer para Portugal fundos canalizados diretamente de Bruxelas – e que não estão contemplados no envelope financeiro comunitário destinado a Portugal, pelo que se trata de um investimento de alto valor acrescentado.

Na calha estão já novos investimentos, que incluem o upgrade dos postos GNV para postos de hidrogénio e outros gases renováveis, como o biometano (Bio-GNV). Atualmente, 17% do gás veicular comercializado no espaço europeu já é de origem renovável.

 “O gás natural (com incorporação de hidrogénio e gases renováveis) assume-se como a melhor forma de descarbonizar no presente. E temos a certeza que o hidrogénio permitir-nos-á descarbonizar a 100% no futuro. Por isso, temos em curso um ambicioso plano de investimentos estruturantes nestas duas áreas”, disse Nuno Moreira.

Recorde-se que o Governo aprovou no final de maio a estratégia nacional para o hidrogénio (EN-H2), que prevê investimentos de 7.000 milhões de euros “no horizonte 2030”, levando a uma redução da importação de gás natural de 300 a 600 milhões de euros. Na mesma altura, o ministro do Ambiente e da Ação Climática, João Pedro Matos Fernandes, explicou que produzir hidrogénio faz parte da estratégia de eletrificação e redução das emissões de gases com efeito de estufa. O ministro lembrou também que em 2030 se pretende que no consumo final de energia 47% provenha de fonte renovável. Nessa altura o objetivo é também reduzir para 65% a dependência energética e em 35% o consumo de energia primária.

Nos últimos anos, o Grupo Dourogás mais do que duplicou os pontos de abastecimento, estando presente em locais fronteiriços de grande tráfego pesado de mercadorias (Vilar Formoso e Elvas), em grandes áreas logística nacionais (como Carregado, Palmela e, agora, Maia), e ainda em municípios como Porto, Loures, Mirandela e Vila Real.

As empresas da Dourogás SGPS têm a sustentabilidade como um valor principal, pelo que evoluem continuamente para garantir uma energia mais natural!

A ENERGIA NÃO PARA DE CIRCULAR!
Subscreva a nossa newsletter e receba no seu email todas as novidades sobre a energia, a sustentabilidade, a inovação e muito mais.